O DVAT (Seguro de Danos Pessoais causados por Acidentes Terrestres) é uma obrigação para todos os proprietários de veículos no Brasil. A cobrança do boleto é feita pelos departamentos estaduais de trânsito (Detran) de cada estado e é o que faz a arrecadação do dinheiro gasto pelo Governo Federal em indenizações para acidentes de trânsito.

O seguro obrigatório, como é chamado, é administrado pela Seguradora Líder. O Dinheiro é repassado para o Ministério da Saúde e outros 5% do valor arrecadado ao Ministério das Cidades para a aplicação em programas de prevenção a acidentes de trânsito. Os outros 50% da verba são destinados ao pagamento das indenizações em si.
Mas afinal, quais são os tipos de situações que é possível cobrir gratuitamente com o uso do Seguro Obrigatório DPAT? Veja abaixo a lista e esteja preparado para agir se for necessário.

O que o DPVAT cobre

• Morte: indenização de R$ 13.500 para os beneficiários da vítima;
• Invalidez permanente: custeio de até R$ 13.500.00 com tratamento permanente e demais custos envolvidos na recuperação e tratamento contínuo do paciente. Nesse caso, a indenização varia conforme o tipo de acidente e é preciso de laudos médicos comprovados pelo Ministério da Saúde para a garantia de recebimento da quantia
• Despesas médicas e hospitalares comprovadas: indenização de até R$ 2.700,00.Entretanto, vale lembrar que é preciso ter tudo registrado para conseguir realizar o pedido de indenização.

O que o DPVAT não cobre

• Danos materiais causados fora do território nacional
• Acidentes causados por carros brasileiros em países do Mercosul (por isso quando se faz uma viagem para a América Latina é preciso adquirir a Carta Verde)
• Despesas jurídicas e processuais relacionadas ao acidente;
• Multas que recaem sobre o proprietário do veículo causador do acidente.

Quem tem direito?

Vale lembrar também que o DPVAT só consegue ser utilizado pelo acidentado que necessite da indenização. Caso o condutor envolvido queira também recorrer é preciso estar como seguro em dia, caso contrário, perderá o direito a assistência governamental. Os motoristas que não tiverem pago o IPVA também poderão ficar sem direito ao benefício. Portanto, é importante tirar a sua segunda via em detranipva2020.com.br

Como solicitar a indenização

As vítimas de acidente devem solicitar a indenização basta recorrer ao pagamento das mesmas . O prazo para solicitar o reembolso para qualquer uma das modalidades de cobertura da Seguradora Líder (DPVAT) é de até três anos a contar da data do acidente.

No caso de invalidez permanente o prazo é de três anos para solicitar até o descobrimento da situação de invalidez da vítima.

Para conseguir dar a entrada será preciso ter toda a documentação em mãos. O serviço pode ser feito online pelo site da seguradora, nos números de contato disponíveis para todo o Brasil gratuitamente ou no site do Denatran.